Ouromilhões saiu para Boa Fé em Portugal

Confirmados "graus impressionantes" de ouro no Alentejo

A empresa canadiana Colt Resources, que desenvolve prospeções de ouro no Alentejo, revelou que os resultados das perfurações na Boa-Fé, no concelho de Évora, evidenciam “graus impressionantes” daquele metal precioso, “perto da superfície”.



Em comunicado enviado à Agência Lusa, e divulgado no Canadá, a empresa anuncia já ter recebido os resultados analíticos finais correspondentes a amostras das sete sondas de perfuração instaladas naquela zona alentejana.

A Colt Resources, através de uma “joint-venture” com a Iberian Resources, assinou com o Governo português um acordo para a concessão experimental de ouro nas freguesias de Santiago do Escoural (Montemor-o-Novo) e de Nossa Senhora da Boa-Fé (Évora).

Já em maio, o Chief Executive Officer (CEO) da Colt Resources, Nikolas Perrault, tinha realçado à Lusa que as perfurações na Boa-Fé estavam a detetar “mineralizações de alto teor” de ouro, admitindo que a extração industrial poderá vir a arrancar em 2014.

No comunicado agora divulgado, Nikolas Perrault afiança que, atendendo aos resultados analíticos finais, as perfurações na Boa-Fé “continuam a fornecer graus de ouro impressionantes, perto da superfície”.

“Estes dados serão incluídos na estimativa inicial de recursos do projeto, que deverá ficar concluída até final de Junho de 2012”, referiu.

O CEO da Colt adianta ainda que, devido à “confiança” da empresa no “potencial regional” de ouro, foi iniciada “a campanha de exploração alargada na concessão de Montemor-o-Novo”, que possui um total de 47 quilómetros quadrados e integra a licença na zona da Boa-Fé.

Os “resultados iniciais” desta campanha na serra de Monfurado, que vai incorporar dados geofísicos recebidos recentemente pela empresa, “têm sido positivos”, destacou o responsável.

Os trabalhos, assegurou, vão prosseguir com a realização de perfurações mais profundas para “testar a extensão de depósitos [minerais de ouro] conhecidos”.

Além disso, a empresa garante, no comunicado, que vai continuar com a “fase avançada” da sua “campanha de exploração” na Boa-Fé, com várias perfurações.

O acordo com o Governo português, para a concessão experimental de ouro nas duas freguesias alentejanas, foi assinado em novembro passado, num investimento previsto de três milhões de euros, durante três anos.

A perfuração na Boa-Fé está a decorrer “desde dezembro”, disse à Lusa Nikolas Perrault, frisando que o projeto “tem vindo a exceder as expetativas” e que a empresa está “cada vez mais confiante” de que “é viável” a exploração industrial de ouro no Alentejo.

Agência Lusa via sapo.pt
Este artigo foi escrito ao abrigo do novo acordo ortográfico.

Sem comentários:

Enviar um comentário